Unimed

Voluntariado

Voltar para Artigos

Empresário restaura e fabrica equipamentos ortopédicos para doação

Voluntariado

Ajudar alguém sem olhar a quem. Essa é a filosofia de vida do empresário Marcelo da Silva Pívaro, de Londrina. Há mais de 15 anos, Pívaro, que é proprietário de uma empresa de guindastes, passou a dedicar boa parte de seu tempo para praticar o voluntariado. No ano passado, ele doou para a campanha “Eu Ajudo na Lata” uma cadeira de rodas que ele mesmo restaurou. “É uma grande satisfação poder ajudar o próximo. Muitas pessoas não têm condições de adquirir coisas que precisam, e se posso vou ajudar a conseguir”, afirma.

Assim ele realiza vários trabalhos de forma voluntária para creches, igrejas católicas e evangélicas, asilos, campanhas, famílias e quem mais precisar. Ele conta que participa do Rotary Club de Londrina e lá mantém um banco de equipamentos ortopédicos para doar a quem precisa.

O empresário, juntamente com seu pai e três funcionários, mantém uma oficina para restauração de equipamentos, cadeiras de rodas e cadeiras de banhos e para a fabricação de muletas e bengalas de madeira para doação. “Já doamos cerca de 500 pares de muletas para a Secretaria Municipal de Saúde e enviamos mil pares para o Haiti, quando o país foi atingido por um terremoto em 2010”, conta.

Pívaro afirma que há alguns anos criou com seu pai o Projeto Pica-Pau para produzir materiais de madeira para doações. “Meu pai aprendeu na escola a fazer muletas, bengalas e outros equipamentos de madeira, e quando ele se aposentou da Prefeitura de Londrina resolvemos aproveitar essa habilidade dele para ajudar outras pessoas”, diz.

Além de muletas e bengalas, eles produzem camas, cadeiras e mesas que são doadas para creches e instituições que solicitam. “Há alguns anos, quando o Rio de Janeiro sofreu com fortes chuvas e deslizamentos, a gente enviou para aquele Estado 100 camas que nós fabricamos”, relembra.

Casado e pai de um rapaz de 23 anos e uma moça de 22 anos, Pívaro afirma que envolve toda a família em suas ações voluntárias. Ele conta que, além da restauração e fabricação de equipamentos ortopédicos, ajuda a promover pizzadas e churrascos para vender e arrecadar recursos para diversas entidades de Londrina. “Ajudar o próximo enche minha alma de alegria e paz. E, assim, acredito que podemos contribuir para um mundo melhor”, comenta.