Loading…
teste

Obesidade infantil: reeducação alimentar é uma lição de casa

A obesidade infantil é considerada uma das doenças que mais assolam as crianças ao redor do mundo.  Ela é caracterizada pelo excesso de peso em crianças de até 12 anos de idade, sendo que o sobrepeso é quando a criança está 15% ou mais acima do peso ideal para a sua faixa etária. Por isso, a Unimed Londrina escolheu a obesidade infantil como tema do mês de junho do Calendário da Saúde, visto que discutir este assunto é fundamental para o bem-estar futuro dos pequenos.

A cada ano, cresce o número de pessoas com a doença. No Brasil, segundo o IBGE, uma em cada três crianças, com idade entre cinco e nove anos, estão acima do peso. Ao redor do mundo, a Organização Mundial da Saúde prevê que existirão mais crianças obesas do que abaixo do peso até 2022, tornando-se, dessa forma, uma epidemia.

Esses dados são preocupantes. Isso porque, se na idade adulta, a obesidade já é um problema muito grave, na infância, o cenário piora, uma vez que, nessa fase, as funções corporais ainda estão em desenvolvimento, e atrapalhar esses processos com sobrepeso pode fazer com que a criança desenvolva outras doenças quando adulta.

Prova disso é que, segundo o Ministério da Saúde, crianças e adolescentes obesos possuem 90% de chance de se tornarem adultos obesos. Entre as doenças relacionadas à obesidade infantil, estão:

- Diabetes

- Hipertensão

- Doenças cardíacas

- Doenças respiratórias

- Doenças ortopédicas

- Dores nas articulações

- Disfunções do fígado

- Colesterol alto

Qual o papel dos pais no combate à obesidade infantil?

O problema da obesidade infantil já é uma realidade nas residências brasileiras. A pergunta que devemos fazer é: como evitá-la? Nesse sentido, os pais têm papel fundamental nessa luta, pois influenciam diretamente no que os filhos comem.

Então, se você tem filhos ou planeja ter, oferecer um cardápio equilibrado, rico em frutas, legumes e verduras, desde os primeiros anos de vida, é essencial. Com isso, o processo de educação alimentar é muito mais simples.

Ao mesmo tempo, procure, desde o início, cortar o consumo frequente de industrializados e refrigerantes, pois eles estão diretamente associados ao ganho exagerado de peso.

O seu estilo de vida também irá influenciar na saúde do seu filho. Não seja sedentário. Incentive a prática de esportes, brincadeiras que exijam movimentação e o desenvolvimento corporal. Tudo isso é importante para que seu filho seja ativo na infância, reduzindo os riscos dele se tornar um adulto sedentário e, consequentemente, não desenvolver a obesidade.


Comentários