Loading…
teste

Como o uso da tecnologia pode afetar o sono do seu filho

Uso excessivo de aparelhos eletrônicos pode prejudicar a qualidade do sono, trazendo efeitos no aprendizado e desenvolvimento das crianças; saiba mais

As facilidades promovidas pelos avanços tecnológicos tornam a vida das pessoas muito mais simples. A velocidade da troca de informações, interação entre as pessoas e a possibilidade de fácil acesso aos mais diversos conteúdos proporcionadas pela internet, mudou o estilo de vida de toda a sociedade. Nesse cenário, crianças e adolescentes, cujo desenvolvimento sofre grande influência da tecnologia, devem ser acompanhados de perto.

Uma pesquisa realizada anualmente pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI), sobre o uso da internet por crianças e adolescentes, estimou que, em 2017, 85% da população brasileira entre 9 e 17 anos estava conectada à internet. Os efeitos do uso de aparelhos eletrônicos atingem diversos níveis da vida dos pequenos, inclusive o sono. Esta atividade biológica tão importante para o crescimento infantil pode ser diretamente afetada pelo uso inadequado da tecnologia no dia a dia. Saiba como isso pode afetar o sono do seu filho e veja como impor limites para a utilização de celulares, tablets e outros aparelhos.

Efeitos negativos

Há algum tempo, televisão e videogame eram a principal preocupação dos pais em relação aos aparelhos eletrônicos. Atualmente, com a popularização dos smartphones e tablets, os dispositivos estão o tempo todo ao alcance das mãos. Inclusive, no momento de ir se deitar. O livre acesso a estas tecnologias faz com que crianças e adolescentes as utilizem por muito tempo. Esse hábito traz efeitos negativos no sono, já que é durante este período que o cérebro executa funções essenciais. Entre elas, a fixação da memória de longo prazo, que contribui para o processo de aprendizado, e a liberação de hormônios do crescimento. Sendo assim, garantir bons hábitos de sono na infância e adolescência é fundamental.

Com o uso em excesso de eletrônicos, as crianças tendem a ir dormir mais tarde, resultando em menos horas de sono. As recomendações de tempo ideal de sono variam de acordo com a idade. Crianças menores necessitam de mais horas de sono diárias e, conforme ficam mais velhas, a necessidade de sono diminui.Veja os números:

- Bebês entre quatro e doze meses: 12 a 16 horas por dia, incluindo cochilos.

- Crianças entre um e dois anos: de 11 e 14 horas por dia;

- Crianças de três a cinco anos: de 10 a 13 horas de sono;

- Crianças de seis a doze anos: 9 a 12 horas;

- Adolescentes de treze a dezoito: de 8 a 10 horas por dia.

Quando há a privação do sono, os primeiros sintomas tendem a ser falta de concentração, grande irritabilidade e oscilações de humor, resultado do cansaço, devido à má qualidade do sono. No dia seguinte, caso tenham dormido mal, se torna mais difícil acordá-los pela manhã para ir à escola, por exemplo. E, no ambiente escolar, estudantes que sofrem com a privação de sono têm mais chances de apresentar rendimento inferior falta de interesse em realizar atividades.

A longo prazo, a situação é ainda mais problemática, pois há um desequilíbrio hormonal capaz de afetar várias funções do organismo. O desenvolvimento neuromotor e o sistema imunológico podem ser prejudicados. E, o desenvolvimento de problemas psicológicos e emocionais também podem estar relacionados com a falta do sono.

Exposição à luz azul

A luz emitida pelas telas de celulares e tablets é outro fator que altera a qualidade do sono. A chamada “luz azul” proveniente dos dispositivos. Inibe a produção do hormônio (melatonina) que avisa o corpo que está na hora de dormir. A melatonina é muito importante na regulagem do “relógio biológico”, do ciclo sono-vigília, executado naturalmente pelo corpo.

As crianças, especialmente as mais novas, não possuem a visão completamente desenvolvida e por isso têm mais sensibilidade à luz, por isso, a exposição excessiva aos eletrônicos pode ser ainda mais prejudicial. É importante evitar o uso de eletrônicos horas antes de ir dormir para garantir uma boa noite de sono.

Limites e regras

Para ajudar a impor limites em relação ao uso da tecnologia, temos algumas dicas práticas para que você possa aplicar na sua casa:

- Crie uma rotina do sono com seus filhos, estabelecendo horários e tarefas que devem ser cumpridos diariamente;

- Dê o exemplo, não use aparelhos eletrônicos em excesso, este comportamento pode ser  reproduzido pelas crianças;

- No mínimo uma hora antes de dormir se desconecte e faça seus filhos se desconectarem também;

- Façam algo juntos, como contar histórias, cantar ou apenas conversar sobre o dia, para desacelerar e se preparar para dormir;

- Limite o uso diário de aparelhos eletrônicos, de acordo com a idade do seu filho;

- Evite que celulares e tablets sejam levados para o quarto.

Dessa forma, você e sua família poderão usufruir de todas as facilidades da tecnologia, sem que isso prejudique o desenvolvimento dos seus filhos. Gostou do artigo? Tem tido problemas com o uso de aparelhos eletrônicos em casa? Comente e compartilhe conosco sua experiência!


Comentários