Loading…
teste

Outubro Rosa: Clarice vence câncer de mama e declara que exame de rotina foi crucial no seu diagnóstico

Descoberto em fase inicial, o sucesso do tratamento do câncer de mama pode chegar a 90%; confira abaixo o relato de Dona Clarice

O dia 19 de outubro, Dia Mundial do Combate ao Câncer de Mama, acende um alerta na vida das mulheres quando o exame de prevenção costuma virar uma necessidade anual. A faixa etária de 50 a 69 anos é considerada de risco, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), e o exame é recomendado a cada dois anos devido a facilidade de identificar lesões no período da menopausa.

É o caso de Clarice Ferrari Fabrício, 72, que descobriu um tumor aos 65 anos. “Fui fazer o exame de rotina e quando busquei o resultado do ultrassom, o médico perguntou se não tinha ninguém me acompanhando. Neste momento, recebi a notícia que estava com câncer de mama”, lembra. 

“Ele [o médico] disse que eu estava com câncer e que iria tirar a mama toda.  Também disse que teria que fazer quimioterapia, radioterapia, e iria perder todo o cabelo. Eu falei que estava tudo bem, se tiver que fazer, vamos fazer, né”, destaca Clarice.

No dia 19 de abril de 2012 ela foi submetida à cirurgia para a retirada da glândula mamária: “No dia da cirurgia, a enfermeira tirou minha pressão e estava 12 por 8. Ela perguntou se eu estava nervosa, ai eu falei que não, porque entreguei tudo nas mãos de Deus. Ele vai me ajudar e vai dar tudo certo”. Além da cirurgia, o tratamento incluiu quatro meses de quimioterapia. 

Dona Clarice é mãe de duas filhas, avó de um casal de netos e sente até hoje dores no braço esquerdo, lado operado pelo câncer de mama, principalmente quando realiza seus alongamentos matinais. Visita a cada seis meses o oncologista e todos os dias toma seu comprimido, parte da quimioterapia oral pós-cirúrgica, administrada por cinco anos, por recomendação médica. 

Diagnóstico

O avanço no diagnóstico e tratamento elevaram as chances de cura em até 90%, apesar da mortalidade ainda continuar alta, pois 30% dos casos diagnosticados estão em estado avançado. A cada 10 casos, três estão relacionados ao estilo de vida, desmistificando que o câncer de mama aparece apenas para quem tem histórico familiar.

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estimou 59.700 novos casos, o que representa 29,5% dos cânceres em mulheres, ou 51,29 casos por 100.000. Ainda, só no ano de 2016, foram registrados 16.069 óbitos por câncer de mama, sendo que as regiões Sul e Sudeste tiveram taxas brutas de mortalidade superiores ao restante do país.

Campanha Outubro Rosa

A Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama durante todo o mês de outubro (1º a 31), cujo evento tem como símbolo o laço cor de rosa, é uma das ações apoiadas pela Unimed Londrina. A cooperativa médica contribui para conscientizar a população sobre a importância dos hábitos que podem evitar o desenvolvimento da doença. 

Para isso, lembre-se que a detecção precoce do câncer de mama pode salvar vidas. Não existe uma idade mínima ou máxima para desenvolver a doença. É relativamente raro acometer mulheres antes dos 35 anos, mas a incidência desse tumor aumenta progressivamente, em especial mulheres após os 50.

Os exames médicos continuam sendo o método mais eficaz, e a mamografia, o mais popular. A realização do ultrassom é importante e auxilia na identificação no diagnóstico. 

Por isso, ame-se e realize o exame preventivo neste Outubro Rosa. Faça como no caso da Dona Clarice, descoberto o tumor precocemente, a chance de cura são altíssimas. Procure um médico profissional conveniado pela Unimed Londrina mais próximo de você e faça essa medida preventiva!

Leia mais: Câncer de Mama: conheça os exames para identificar a doença


Comentários