Loading…
teste

Cólicas em bebês: o que fazer e como lidar com elas

Entender como acontecem as cólicas, pode ajudar a acalmar o bebê. Conheça dicas e formas de evitá-las

As cólicas em bebês acabam se tornando uma preocupação, especialmente para mamães e papais. As dores podem começar a partir dos 15 dias e após os três meses elas tendem a reduzir. Esse cenário acaba fazendo parte do desenvolvimento do bebê, já que seu corpinho não tem uma flora formada e esta é uma adaptação necessária para que o corpo da criança aprenda a lidar com os gases e com o volume do alimento.

O mal-estar, ou seja, as contrações da musculatura abdominal, duram em média três meses, pois esse é o tempo que o organismo do bebê leva para amadurecer o tubo digestivo. Geralmente inicia-se na segunda semana e se intensifica entre a quarta e a sexta. Mas, para ter certeza que o choro tem a sua origem na cólica, certifique se não há fome, sono, frio ou mesmo se a fralda não está cheia.

+ Leia mais: “O amor vem aos poucos” Letícia Padilha compartilha sua experiência sobre amamentação

O tipo de microbiota (conjunto de microorganismos que habita o trato gastrointestinal) pode ser determinante para o surgimento do incômodo na barriguinha. Porém, a maioria dos casos aponta para a formação incompleta do sistema digestório.

Mas por que isso ocorre? Ao mamar, o leite é digerido, o que provoca sua fermentação no processo, fazendo com que o intestino dilate. Como o sistema digestivo ainda não funciona em sua totalidade, surgem contrações involuntárias resultando no acúmulo de  gases, levando às famosas cólicas.

Se o problema persistir e o bebê ainda chora, não se preocupe, há várias formas de amenizar as cólicas.

Geralmente, a dor se inicia no final da tarde e no começo da noite, quando o bebê está mais cansado e o seu metabolismo passa a funcionar de modo mais lento. A criança começa a apresentar irritabilidade, ter acessos de choro acompanhados de flexão de braços e pernas, além dos punhos fechados.

Veja algumas dicas de como aliviar essas dores que incomodam tanto:

1. Pegue o bebê no colo e dê carinho no momento do choro.

2. Coloque a barriguinha em contato direto com a pele da mãe: o calor do corpo e o aconchego fazem o bebê se acalmar.

3. Coloque o bebê para ser amamentado em seio materno, pois o ato de sucção é analgésico ao bebê.

4. Faça compressas mornas na barriguinha. Tome cuidado para não esquentar demais e verifique a temperatura antes de encostar na pele do bebê. Você também pode utilizar produtos como bolsas térmicas de gel.

5. Deite o bebê de costas e flexione as perninhas, uma por vez, em direção ao abdômen, como se estivesse pedalando. Você pode também dobrar e esticar, repetidamente, as duas pernas do bebê.

6. Massagens circulares no sentido horário, começando de baixo para cima no abdômen e ao redor do umbigo podem ajudar a soltar os gases.

7. Para evitar o estresse nestes momentos de cólica, mantenha o bebê em ambientes calmos e tranquilos.

Recomendações

As cólicas são comuns e fazem parte do desenvolvimento da maior parte dos bebês. É no terceiro mês após o nascimento que o bebê completa um ciclo de 12 meses desde a fecundação, contando o período de vida intrauterina. Nesta fase, ele deixa de ser um recém-nascido, pois no quarto mês seu sistema digestivo já está formado e as cólicas tendem a deixar de ocorrer. 

Até lá, a dica é ter paciência e seguir algumas recomendações na hora da amamentação e no momento da pega. Durante as mamadas, evite intervalos curtos, pois a mama não terá muito leite e há risco de o bebê engolir ar, formando gases. Verifique se, na hora da amamentação, as narinas estão limpas, se o bebê fez a pega correta e se arrota no final. Essas medidas podem reduzir a quantidade de ar ingerida e amenizam o desconforto característico nestes primeiros meses.

Seguindo algumas orientações simples como essas, você garante tranquilidade para o seu bebê e para a sua família. Em caso de dúvidas, você pode ligar para (43) 3375-6016, o atendimento é gratuito para clientes Unimed Londrina que possuem o opcional obstetrícia.

Gostou da matéria? Que tal se aprofundar no assunto? A Unimed Londrina preparou uma material exclusivo sobre As Fases do Bebê, para você tirar suas dúvidas e entender o processo do desenvolvimento do seu bebê.

Leia mais: As melhores atividades para cada fase do bebê


Comentários