Loading…
teste

As vacinas importantes para recém-nascidos

As vacinas são fundamentais para estimular o corpo humano a proteger o organismo, proporcionando um desenvolvimento adequado

Ao nascer, os bebês necessitam de muitos cuidados, pois, não possuem as defesas do corpo necessárias para combater infecções e doenças. É por esse motivo que as vacinas são tão fundamentais, principalmente nesses primeiros momentos de vida dos pequenos.

Criadas para ensinar o sistema imunológico a reconhecer agressores que podem causar doenças, as vacinas contribuem para estimular o corpo a proteger o organismo e a reagir a vírus e bactérias, provocando imunidade artificialmente induzida, semelhante à doença. Elas podem ser aplicadas por meio de injeções como também via oral.

Segundo o pediatra da Unimed Londrina, Dr. Renato Mikio Moriya, a vacinação é o método mais eficaz e econômico de evitar o sofrimento e também doenças. “As vacinas são consideradas um dos mais importantes avanços da Medicina em todos os tempos, pois foram responsáveis pela diminuição na incidência de diversas doenças infecciosas. Além disso, doenças como difteria, tétano, sarampo, caxumba e rubéola praticamente desapareceram dos países desenvolvidos”, explicou.

É importante destacar que é indispensável seguir corretamente todo o calendário de vacinação, desde o nascimento da criança. A vacinação, quando aplicada corretamente, diminui o risco de doenças e ajuda (muito) o bebê a se desenvolver de forma saudável e adequada.

Quais vacinas aplicar no recém-nascido?

A vacinação inicia-se ainda na maternidade, pois todo o cuidado e atenção são necessários nesse início. Ao nascer, o bebê precisa tomar duas vacinas, extremamente importantes para a saúde e desenvolvimento. Falamos aqui da vacina BCG e da vacina da Hepatite B.

Vacina BCG

A BCG é uma vacina com dose única, que protege o recém-nascido do Bacilo Calmette-Guerin que causa a tuberculose, uma doença altamente infecciosa e transmissível. De acordo com o Dr. Renato Moriya, a incidência da doença tem aumentado nas últimas décadas, devido ao crescente número de casos de infectados pelo HIV.

Essa vacina normalmente é aplicada na via intradérmica, ainda na maternidade, deixando aquela conhecida cicatriz no braço direito, que pode formar-se até os 6 meses. “Ela deve ser administrada o mais precocemente possível, de preferência na maternidade ou no primeiro mês de vida.”, destacou o médico.

Contra indicada para bebês prematuros ou com menos de 2kg, a BCG pode apresentar alguns efeitos colaterais como, por exemplo, úlcera no local da aplicação com diâmetro maior que 1cm, abscesso subcutâneo frio e linfadenite regional supurada. Em casos de efeitos colaterais, é fundamental procurar o médico pediatra da criança.

Vacina da Hepatite B

A outra vacina que deve ser aplicada no recém-nascido é a da Hepatite B. Esta possui diversas doses e a primeira deve ser aplicada no músculo da coxa do bebê, nas primeiras 12 horas após o nascimento da criança.  Ela evita a infecção causada por um vírus que afeta o fígado, muito conhecida por causar o amarelamento da pele. “A administração precoce, ou seja, nas primeiras 12 horas de vida, evita a transmissão vertical da infecção”, disse o pediatra Dr. Renato.

Os eventos adversos são muito raros com a vacina da Hepatite B, contudo, ainda pode causar algumas reações locais e febre baixa. “Reações alérgicas, anemia hemolítica e púrpura são excepcionalmente raras”, explica o médico pediatra Renato Moriya.

A sua segunda dose da vacina da Hepatite B deve ser tomada com um intervalo de 1 mês da primeira dose e a terceira, aos seis meses, de acordo com o Calendário de Vacinação da Sociedade Brasileira de Imunizações disponibilizado pela Unimed Londrina. Essas, as demais doses da vacina da Hepatite B e outras vacinas para crianças, você pode conferir clicando aqui!

Segundo o Dr. Renato Mikio Moriya, para controlar as doenças é fundamental manter as altas coberturas vacinais e para isso, cabe ao médico orientar e fiscalizar a vacinação da criança. Desta forma, em cada consulta, o médico deve conferir o calendário vacinal do pequeno, além de “...estimular a família a seguir rigorosamente o calendário, chamar sempre a atenção sobre vacinas que eventualmente ainda não estejam nesse calendário e explicar a vantagem de completá-lo, orientando a participação nas campanhas de vacinação”, completou.

Vale ressaltar que, além dessas vacinas indispensáveis para recém-nascidos, há outras extremamente importantes. Por isso, os pais devem seguir  corretamente o calendário de vacinas, mantendo a carteirinha da criança sempre atualizada.

Clínica de Vacinas da Unimed Londrina

A Unimed Londrina possui a sua Clínica de Vacinas, com vacinas modernas e eficazes para proteger toda a família e também os seus colaboradores. A Clínica oferece as melhores alternativas de imunização, possuindo ótima procedência.

Para saber todas as vacinas disponíveis pela Clínica de Vacinas da Unimed Londrina, basta clicar aqui e conferir toda a lista.

Gostou do texto? Deixe a sua opinião nos comentários!

Leia também: 5 receitas para manter uma dieta balanceada no frio


Comentários