Loading…
teste

Quedas de idosos: por que elas podem ser tão perigosas

A queda de pessoas de terceira idade pode ser mais comum do que você imagina. Saiba como preveni-las e agir quando o tombo acontecer

Os tombos, durante a vida, podem servir como grande aprendizado. Na infância é muito comum que as crianças testem os limites do corpo e do espaço por meio das brincadeiras. E é nesse pretexto que os resultados podem acabar indo para o chão: em trombadas e tropeços. 

Podemos até sair doloridos das quedas ou mesmo fraturar um osso, mas a recuperação tende a ser rápida e sem muitos danos. A medida que envelhecemos, essa capacidade de cair, levantar e seguir caminhando com facilidade se reduz. A queda é normalmente associada ao aumento de fragilidade e vulnerabilidade da pessoa, há modificação na capacidade funcional, como menos equilíbrio, menos força muscular e os reflexos alterados.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 28% a 35% das pessoas com mais de 65 anos sofrem quedas pelo menos uma vez por ano. E o número só tende a subir, afinal, aos 80 anos de idade, as quedas são ainda mais frequentes e o risco de morte chega a ser seis vezes maior. 

A maior ocorrência de quedas se dá em mulheres com mais de 65 anos de idade, de acordo com a análise de prevalência e fatores associados a quedas entre idosos brasileiros em áreas urbanas, do Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil).

Sem falar que as quedas de idosos também são um problema econômico. Caso a pessoa idosa tenha sofrido graves consequências, surgem custos com medicamentos e serviços adequados como consultas médicas, tratamento e reabilitação. Há também casos em que a pessoa que for cuidar do idoso, seja obrigada a sair do mercado de trabalho.

Por que eles caem? 

A queda é definida como um evento não intencional em que o indivíduo cai em direção ao chão ou a um nível mais baixo, ocorrendo com mais frequência em pessoas de terceira idade (aquelas com 60 anos de idade ou mais). As complicações mais graves são fraturas ou traumatismo craniano, além da possibilidade de desenvolver o medo de cair novamente.

Quando o idoso cai é comum que o fêmur, o punho e a coluna sejam os mais prejudicados. Até que o risco de morte por fratura do fêmur aumenta de 30% a 40%, por impactar diretamente a mobilidade do indivíduo. O acidente pode levar a complicações pós-queda, depressão, medo de andar na rua, anemia, além da possibilidade de restringir o movimento. 

Mas saiba que as quedas não devem somente a questões externas como, o chão escorregadio ou falta de iluminação, por exemplo. Idade avançada, baixa aptidão física, fraqueza muscular, falta de equilíbrio, uso de medicamentos inapropriados e doenças relacionadas à saúde como diabetes, doença de Parkinson e osteoporose são fatores que aumentam significamente as chances de cair.

Sim, tem como prevenir

Existem medidas que, se forem feitas dentro e fora de casa, reduzem a chance de queda e favorecem um envelhecimento saudável e com maior dependência. 

No banheiro, lugar mais perigoso para os idosos:

Saboneteiras e toalheiros devem estar de modo que o alcance seja fácil e viável;

• Para evitar escorregões, coloque um tapete antiderrapante ao lado da banheira e do box e, se preferir, instale piso antiderrapante.

• Em vasos sanitários, para evitar dificuldades de sentar e levantar, eleve o assento e coloque barras laterais, para que a pessoa consiga se apoiar e segurar com firmeza.

• Na hora do banho, caso o idoso não consiga abaixar até o chão, utilize uma cadeira de plástico firme com cerca de 40 cm.

• Os ralos devem ficar longe da área de circulação ou então nivelados no piso para evitar qualquer obstáculo no espaço.

No quarto:

• A altura da cama não deve estar muito alta nem muito baixa. Como ponto de referência, a pessoa, sentada, deve estar com os joelhos dobrados em 90º e com os pés apoiados no chão.

• Os armários e guarda-roupas devem ter portas leves e maçanetas grandes para facilitar sua abertura.

Tapetes em quartos devem ser dispensáveis. Se for para tê-los, devem ser antiderrapantes.

• A iluminação deve estar o mais próximo possível da cama, para evitar deslocamentos durante a noite. Recomenda-se colocar um abajur ao lado da cama, com interruptor à mão.

• Deixe uma cadeira extra no quarto, para que o idoso consiga sentar para descansar durante as trocas de roupas ou sapatos.

Na sala e corredor:

Móveis devem estar organizados de modo que o idoso tenha um caminho livre para passar.

• O ambiente deve estar iluminado com cortinas abertas e paredes pintadas com cores claras para descomplicar o movimento. Vale investir também em luzes com sensor de presença ou manter uma luz acesa nos locais mais usados, como a passagem do banheiro para a cozinha.

• Mantenha fios elétricos e extensões fora da área de circulação e nunca os deixe debaixo de tapetes.

• Instale interruptores de luz na entrada das dependências de maneira que a pessoa não tenha que andar no escuro até que consiga ligar a luz

Para facilitar ainda mais e resumir todos os pontos, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa do Ministério da Saúde lista 11 medidas essenciais de prevenção de quedas de idosos:

1. Evite tapetes soltos, eliminando tudo que há de obstáculos;

2. Instale corrimão e suportes nos dois lados em escadas e corredores, banheiros, salas e quartos;

3. Use sapatos fechados com solado de borracha, que são antiderrapantes;

4. Coloque tapete antiderrapante no banheiro;

5. Evite andar em áreas com piso úmido;

6. Evite encerar a casa;

7. Evite móveis e objetos espalhados pela casa;

8. Deixe sempre uma luz acesa à noite, para o caso de precisar se levantar;

9. Espere que o ônibus pare completamente antes de subir ou descer;

10. Sempre utilize a faixa de pedestre;

11. Se necessário, use bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio.


A Unimed Londrina conta com programas de saúde e atividades pontuais para a melhoria da qualidade de vida de seus clientes da terceira idade. Por meio de orientações preventivas para a manutenção da saúde com programas da Unimed Saúde e do Serviço de Atendimento Domiciliar (DOM), que há 20 anos preza em atender as necessidades dos pacientes em suas residências.

Compartilhe esse texto com amigos e familiares para divulgar as medidas de prevenção da queda de idosos. Com certeza essas informações irão ser úteis para muita gente!


Leia mais: 5 ferramentas de acessibilidade digital que você precisa conhecer


Comentários