Loading…
teste

“Eu sou uma prova viva de que doar sangue faz a diferença”, afirma jovem que recebeu doação

Após uma complicação cirúrgica, Bianca Veronesi precisou receber sangue e, sensibilizada, resolveu se tornar doadora

Em 2014, Bianca Veronesi, 23, foi diagnosticada com apendicite e precisou passar por uma cirurgia para retirada do apêndice. Durante o procedimento, surgiram complicações, a jovem teve hemorragia interna e perdeu uma grande quantidade de sangue, o que poderia tê-la levado à morte. “Eu recebi dois litros de sangue. Várias pessoas tiveram que doar para que eu pudesse estar aqui hoje.”, conta Bianca.

Internada durante duas semanas, ela só parou para refletir no que havia acontecido quando voltou para casa, após receber alta do hospital. “Eu percebi que estava viva graças às pessoas “x”, que eu nunca vi na minha vida, mas que pegaram um tempo do dia delas e foram doar sangue, independentemente para quem fosse. Elas simplesmente decidiram que queriam salvar uma vida e essa vida salva foi a minha”, fala emocionada.

Hoje, Bianca faz questão de ressaltar a grandeza da ação e de incentivar as pessoas com quem convive a doarem sangue. “Eu sou uma prova viva de que doar sangue faz diferença. E acho que é uma coisa tão pequena perto do efeito que isso tem. Todo mundo deveria doar!”, frisa ela.

De receptora para doadora

A situação delicada vivenciada por Bianca foi um fator essencial para que ela se tornasse uma doadora de sangue. A jovem relata que sempre quis doar, mas que, devido ao medo de agulhas, nunca tinha feito. “Quando nós não vivemos uma situação, como eu vivi, o fato de precisar de sangue de outras pessoas, não damos tanta importância. Achamos um gesto bonito, mas acabamos não fazendo”, alega.

Após a cirurgia, ela esperou aproximadamente um ano para doar sangue e, assim que foi liberada a jovem se inscreveu em uma campanha realizada pela Unimed Londrina. Sobre a experiência, Bianca descreve como algo muito gratificante. “Eu estava trabalhando na Unimed e teve essa campanha de doação de sangue. Eu participei, e foi uma coisa que fez com que eu me sentisse no lugar das pessoas que salvaram a minha vida.  É um sentimento que não dá para descrever”, completa. Atualmente, a jovem lamenta por não ser doadora, pois não tem o peso mínimo necessário para doação.

Doar pela Unimed

“A experiência de doar na Unimed foi única, porque eu trabalhava lá na época. Eu estava na área que desenvolve esse projeto, que é a área de Sustentabilidade. Então, eu realmente estava 100% em cima desse projeto e foi demais, porque eu vi como realmente as pessoas são boas. Era tanta gente se inscrevendo, tanta gente triste, por não poder doar, por um motivo ou outro e prometendo que iria doar na próxima campanha”, relembra.

A Unimed Londrina promove durante o ano diversas campanhas. Entre elas, a campanha de doação de sangue, que estimula a ação entre os colaboradores.

Dicas para quem quer doar

Em relação às dicas para quem quer ser doador, Bianca destaca que é importante se lembrar do objetivo final do ato. “O processo é chato, é uma agulha, tem gente que não gosta, que tem muito medo, mas o resultado dessa ação é salvar uma vida”, justifica.

Por último, ela reforça que, quem pode doar, deve fazer da ação um compromisso e faz um apelo para que todos se tornem doadores. “Depois de passar por isso na sua vida, ver um caso na família ou precisar de sangue, você vê como aquela pessoa que teve a ideia de doar sangue salvou a sua vida e fez a diferença no seu mundo”, afirma.

Requisitos para doação

Há alguns requisitos para ser um doador de sangue, veja quais são:

- Não possuir nenhum problema de saúde;

- Idade entre 16 (apresentando documentação e autorização) e 69 anos (a primeira doação deve ter sido realizada até os 60 anos);

- Peso mínimo de  50kg;

- Estar com o sono em dia, em estado de descanso, tendo dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;

- Estar bem alimentado. É importante evitar alimentos muito gordurosos até 4 horas antes da doação;

- Apresentar documento original com foto.

E você? Já doa ou já doou sangue? Gostou da história da Bianca? Já pensou em ser doador ou doadora, mas, por alguma razão, ainda não é? Compartilhe conosco suas dúvidas e experiências nos comentários!

Leia também: Cuidados que você precisa ter para ser um doador de sangue


Comentários